Descubra a diferença entre os protetores solares infantis e saiba como usá-los corretamente. Conheça as categorias de protetores e as recomendações para cada faixa etária. Leia mais!

Cuidar da proteção dos nossos filhos é uma preocupação constante.

Quando se trata de exposição ao sol, nem todos os protetores solares são iguais, e o fator de proteção não é o único aspecto importante a considerar.

Com tantas opções no mercado e propagandas diferentes, é comum surgirem dúvidas sobre qual é o melhor protetor solar infantil.

Neste artigo, vamos esclarecer essas questões e ajudar você a tomar a melhor decisão para proteger a pele dos pequenos.

Assine Amazon Prime e garanta FRETE GRÁTIS nas suas compras!

Categorias de protetores solares: físicos e químicos

Existem duas categorias principais de protetores solares: os físicos e os químicos. Cada um possui características distintas e oferece formas diferentes de proteção solar.

Os protetores solares químicos, também conhecidos como filtros solares, contêm moléculas que absorvem os raios ultravioleta (UV) e os transformam em radiação de baixa energia, que não penetra na pele.

Essa absorção dos raios UV impede que eles causem danos à pele. É importante ressaltar que esses produtos devem ser aplicados na pele antes da exposição ao sol, para garantir uma proteção efetiva.

Por outro lado, os protetores solares físicos são compostos por substâncias minerais, como o óxido de zinco e o dióxido de titânio.

Esses componentes atuam como uma barreira física, refletindo os raios solares e impedindo sua absorção pela pele. Essa característica torna os protetores físicos uma opção mais segura para a pele sensível das crianças.

Quando começar a usar o protetor solar infantil?

A recomendação é que o uso de protetor solar infantil seja iniciado a partir dos seis meses de idade. Antes disso, a Sociedade Brasileira de Pediatria orienta que se evite a exposição direta ao sol, optando por outros métodos de proteção.

Para os bebês com menos de seis meses, é indicado o uso de protetores mecânicos, como bonés, roupas com proteção UV, guarda-sol ou sombrinhas.

Esses recursos ajudam a minimizar a exposição direta ao sol, protegendo a pele sensível dos pequenos.

A partir dos seis meses até os dois anos de idade, é recomendado o uso de protetores solares físicos (ou inorgânicos).

Mãe passando protetor solar infantil em seu bebê para evitar os raios do sol. Foto: Reprodução / Imagem Desenvolvida por Inteligência Artificial DALL-E
Mãe passando protetor solar infantil em seu bebê para evitar os raios do sol. Foto: Reprodução / Imagem Desenvolvida por Inteligência Artificial DALL-E

Esses produtos, por não serem absorvidos pela pele, possuem menor potencial alergênico e maior resistência à água.

Isso significa que eles permanecem eficazes mesmo com o contato com a água, por exemplo, em momentos de diversão na piscina ou na praia.

Após os dois anos de idade, os filtros solares químicos infantis podem ser utilizados.

Vale ressaltar que os produtos destinados às crianças são submetidos a avaliações rigorosas pela ANVISA, garantindo sua segurança e eficácia.

Como escolher o melhor protetor solar infantil?

A escolha do protetor solar infantil adequado envolve alguns aspectos importantes. Veja algumas dicas para tomar a decisão correta:

  1. Fator de proteção solar (FPS): O FPS indica o grau de proteção contra os raios UVB, responsáveis pelas queimaduras solares. Para as crianças, é recomendado um FPS mínimo de 30. No entanto, é importante lembrar que o FPS não é o único fator a ser considerado.
  2. Ampla proteção UVB e UVA: Além da proteção contra os raios UVB, é fundamental que o protetor solar infantil ofereça também proteção contra os raios UVA, que estão associados ao envelhecimento precoce da pele e ao risco de câncer de pele. Procure por produtos que ofereçam uma proteção de amplo espectro.
  3. Textura e absorção: Opte por protetores solares infantis com textura leve, de fácil absorção e que não deixem resíduos brancos na pele. Isso facilita a aplicação e aumenta a adesão ao uso diário.
  4. Hipoalergenicidade: Para crianças com pele sensível ou propensas a alergias, é importante escolher um protetor solar hipoalergênico. Esses produtos passaram por testes dermatológicos que comprovam sua segurança em relação a possíveis reações alérgicas.
  5. Resistência à água: Principalmente em atividades aquáticas, como brincadeiras na piscina ou no mar, é essencial que o protetor solar seja resistente à água. Assim, ele não é removido facilmente, mantendo a proteção solar durante toda a diversão.

Lembre-se de que é fundamental aplicar o protetor solar infantil em todas as áreas expostas do corpo, cerca de 30 minutos antes da exposição ao sol, e reaplicá-lo a cada duas horas, ou com mais frequência, caso haja contato com a água ou transpiração excessiva.

10 Melhores opções de protetor solar infantil disponíveis

MarcaNomeFPSHipoalergênicoHidratanteResistência à ÁguaFísico / Químico
La Roche-PosayAnthelios Dermo Pediatrics60SimSimAltaFísico
AnasolAnasol Kids90SimSimAltaFísico e Químico
MustelaMustela Solaire Bébé-Enfant50SimSimAltaFísico e Químico
CoppertoneCoopertone Kids50SimSimMédiaFísico e Químico
AvèneAvène Spray50SimSimMédiaFísico e Químico
NeutrogenaWet Skin Kids70SimAltaFísico e Químico
MantecorpEpisol70SimAltaFísico e Químico
NiveaNivea Sun Kids Sensitive Pure60SimAltaFísico e Químico
NaturaNatura Fotoequilibrio Criança60MédiaFísico e Químico
Johnson & JohnsonSundown Praia e Piscina Kids60NãoNãoAltaFísico e Químico

A tabela acima apresenta 10 opções de protetores solares infantis disponíveis no Brasil, organizados de acordo com o FPS (fator de proteção solar), se são hipoalergênicos, possuem poder de hidratação, resistência à água e se são físicos ou químicos.

Essas informações podem ajudar na escolha do melhor produto para proteger a pele das crianças. Clique no nome de cada produto para ver mais detalhes.

Perguntas Frequentes

Qual é a diferença entre protetor solar físico e químico?

O protetor solar físico age como uma barreira que reflete os raios solares, enquanto o químico absorve os raios UV, transformando-os em radiação de baixa energia. O físico é mais seguro para a pele sensível das crianças.

A partir de qual idade é recomendado o uso de protetor solar infantil?

A partir dos seis meses de idade, é recomendado o uso de protetor solar infantil. Antes disso, a exposição direta ao sol deve ser evitada, utilizando outros métodos de proteção, como bonés e roupas com proteção UV.

Quais são os fatores importantes na escolha de um protetor solar infantil?

Além do FPS adequado, é importante escolher um protetor solar que ofereça proteção de amplo espectro (UVB e UVA), seja de fácil absorção, hipoalergênico e resistente à água. Esses aspectos garantem uma proteção eficaz para a pele das crianças.

Conclusão

Agora que você tem todas essas informações sobre protetor solar infantil, pode escolher o melhor produto para proteger a pele dos pequenos com segurança.

Lembre-se de que a proteção solar é fundamental em todas as idades e ajuda a prevenir problemas futuros.

Cuide dos seus filhos, proteja-os dos raios solares e aproveite o tempo ao ar livre com tranquilidade.

Leia também: Repelente Infantil: Como proteger as crianças dos mosquitos

Assine Amazon Prime e garanta FRETE GRÁTIS nas suas compras!

Isenção de responsabilidade: Nossos links contém afiliações; compras via links geram pequenas comissões. Essas comissões sustentam o blog. Este site não deve ser considerado um conselho médico. Consulte o seu médico se tiver alguma dúvida sobre o conteúdo apresentado.

Compartilhar.

Orgulhosa mãe da pequena Sofia e entusiasta de tópicos envolvendo moda, beleza, maternidade e tudo relacionado ao universo feminino. Iniciei minha carreira como redatora em 2019, e busco trazer em meus artigos não apenas conhecimento, mas também minha vivência pessoal e experiência como mãe e mulher. Estou sempre comprometida em oferecer conteúdo autêntico e relevante.

Deixe uma Resposta

oito − 7 =